terça-feira, fevereiro 09, 2010

Tentação (XVII)

(...)

Era apenas uma lenda.
Um homem que nasceria de uma virgem e que seria concebido por um espírito, por um ser de luz.
Esse Homem metade humano, metade divindade, seria o Rei dos Homens.
Mas essa lenda estava escrita no Livro do Destino.
Era um livro em branco, no qual aparecia escrito, como que por artes mágicas, o que de importante iria acontecer na história da Humanidade.
Quem o possuía sabia que só existia aquele livro e outro que era impossível de adquirir já que estava com o próprio Deus dos Homens.
Aquele tinha sido oferecido a Adão, antes de provar o pecado original.
E era Belchior que o tinha. Graças ao livro, ele e seus dois irmãos governavam grande parte da que seria no futuro chamada de Ásia Central.
Eram seres muito antigos, meio homens, meio humanos.
Seres poderosos que se movimentavam entre a Humanidade há séculos.
Seres extremamente sábios e que podiam ter tudo o que queriam.
Eram conhecidos pelos Reis Magos, dada o seu poder sobrenatural e a sua clarividência para prever o futuro.
Tal como Jesus, nome escrito no Livro do Destino, eles eram filhos do homem e de seres de luz, viam no nascimento do Filho de Deus o surgimento de uma era em que eles se tornariam senhores do mundo.

(...)

18 comentários:

Teresa Durães disse...

uma ideia engraçada de ver os reis magos

A Senhora disse...

Sempre me pareceram tão humildes os Reis Magos, apesar dos presentes e da recepção que tiveram com Herodes... Mas, gostei!

bjs e boa semana!

Teté disse...

Reis Magos? Mau, querem lá ver que eles existiram realmente?! :D

Mas pronto, para a "Tentação" ainda vá, para a net é que vai para lá uma confusão que ninguém se entende... :)

Beijocas!

Adriana disse...

bem diferente

Roderick disse...

Tersa, é só mais uma. Ficcionada, claro está! Porque toda a gente sabe que os reis magos foram com o coelhinho ao circo!!!!!

Roderick disse...

Senhora, pois é, muito humildes, tirando o Ouro, o Incenso, a Mirra, o serem os únicos a terem acesso ao nascimento do Salvador... só humildade, só humildade.

Roderick disse...

Teté, sim existiram, claro! E costumam almoçar aos Domingos com o Pai Natal e o Coelhinho da Páscoa. O tal que foi com eles ao circo!

Na net vai confusão??? "Órgias", "órgias"...

Roderick disse...

Adriana, diferente é, original não sei!

Laura disse...

Oi. Vai ao blogue do Osvaldo ver o que ele lá tem para mim, adorei, lindo, quem me dera ser assim, ah, que inveja..beijinhos e espreita pois, só aquele jarim...

Zé do Cão disse...

E a última bombóca é para mim.

um abraço

Rosa dos Ventos disse...

Uma forma bem interessante de contar uma história tão complicada!

Abraço

Zé do Cão disse...

Roderick. Não sabia dessa dos chineses registarem a marca Arraiolos.
É o máximo.
O filha da mãe do nosso governo, consentiram que os chineses comprem a cortiça em bruto, para ser lá trabalhada...
É o máximo...

Um abraço

Osvaldo disse...

Caro Roderick;

Eu sempre pensei que Reis só o Don Duarte e mais alguns espalhados aqui pela Velha Europa como o Don Quixote, óh desculpa, queria dizer Don Juan Carlos, mais um ali pros lado do Canal da Mancha... há já são três,... devem ser eles !...

Gostei do teu blog!...

Um abraço caro Roderick;
Osvaldo

Roderick disse...

Laurinha, já fui.
Linda imagem, a que ele escolheu.

Roderick disse...

Zé, bomboca?
Tem a ver com a brincadeira que deixei algures?
Já nem me recordo o que foi!

Roderick disse...

Rosa. Ou uma forma complicada de contar uma história tão interessante!

Roderick disse...

Zé, é verdade. Arraiolos e galo de barcelos. São as que eu sei.
E o governo teve de pedir autorização para continuar a usar os termos.
Mas não foi só cá. Sei que em França aconteceu o mesmo.
Agarram em produtos dito tradicionais q ninguém se recordou de registar e... já está.

Roderick disse...

Osvaldo. Obrigado pela visita e pelas palavras.
Reis somos todos, pelo menos em nossa casa... se a Rainha deixar, claro... os os principezinhos...