terça-feira, fevereiro 09, 2010

A serpente e a (Maçã?) Reineta

Fora bela, dizia-o à boca cheia para todos ouvirem. E queria continuar a ser bela. Pretendia continuar a ser jovem, magra e esbelta, custasse o que custasse.
Henricunda Reineta era aquele tipo de mulher que detestava envelhecer! Cada ruga na sua face era um martírio na sua vida. Cada prega no seu corpo era o cabo das tormentas e cada pedaço de gordura na sua silhueta era como um vírus alojado em si.
Tentava tudo o que estava ao alcance para voltar a ter uma pele suave de bebé! Experimentava banhos de leite de burra, tomava bebidas intragáveis só porque ouvia dizer que tinha resultado com este ou aquele, expunha-se a operações cirúrgicas, fazia tudo o que podia para recuperar a juventude, tudo para voltar a ter o corpo que tivera há 30 anos atrás!
Mas o galopar do tempo era irreversível!
Era uma mulher irascível. O próprio marido, gente boa, não suportava as suas mudanças de humor. Não fosse um paz de alma e já se tinha divorciado há muitos anos. Pensara nisso muitas vezes, mas nunca tivera coragem de o fazer!
Henricunda “dava no ferro” todos os dias no ginásio para tentar abater aqueles quilos que estavam a mais na sua barriga, nas suas ancas, no seu pescoço, na sua figura, mas depois cá fora, Henricunda terminava sempre as refeições com um duchaise, bolo rico em chantili e farto em calorias. Para não entrar em fase de engorda, tomava sempre um café, no final das refeições, com adoçante. “Açúcar não, que engorda” dizia Henricunda ao empregado, lambendo ainda os beiços dos restos de chantili do seu bolo do pecado! “Um de vez em quando, não faz mal”. Esquecia-se era de dizer que esse de vez em quando era diário!
Além de ter a ambição de possuir uma figura esbelta, também tinha um defeito terrível. Uma grande língua bifurcada! Gostava de morder os outros com as suas tiradas venenosas. Mas sempre pelas costas. Adorava espalhar veneno. Mas nada pela frente. Não era correcto.
Certo dia, Henricunda, aconselhada por uma colega, foi a uma ervanária muito famosa na capital. Ia aconselhada a solicitar ervas verdes de emagrecimento. A suposta amiga que Henricunda como hábito não suportava, dissera-lhe para comentar com a ervanária que pretendia tirar o veneno da gordura do corpo e rejuvenescer as células, que ela compreenderia. Eram palavras de código, disse-lhe a colega.
Henricunda, feliz da vida, lá foi para a ervanária, não sem antes comentar com um colega que aquela coleguinha era estranha porque, tinha ouvido, frequentava locais pouco aconselháveis, como ervanárias!
E lá foi ela em segredo.
Fez como a colega lhe dissera. Disse que vinha em busca de ervas verdes de emagrecimento para tirar veneno da gordura do corpo e rejuvenescer as células.
A ervanária observou-a com um ar sério e retirou-se para um cubículo escondido por detrás do balcão.
Voltou com um pequeno saco cheio de ervas verdes iguais a todas as outras que estavam expostas.
Sorriu, com pouca vontade, pagou e saiu.
Chegou a casa e fez como estava no descritivo que vinha colado no pequeno invólucro de plástico.
Ferveu as ervas com água e sal marinho, juntando um pau de canela no fim para melhorar o sabor.
Bebeu tudo de uma vez e repetiu a dose. Não faria mal se tomasse duas vezes.
Primeiro sentiu um calor no estômago. Deveria estar a fazer efeito. Depois sentiu uma dor e um calor a subir pelo corpo. Deixou de ver. Uma dor enorme toldou-lhe os sentidos. Caiu em agonia no chão. Contorcia-se como um animal selvagem no esgar da morte. Tentou gritar mas nada saiu. Desmaiou.
Quando acordou teve uma sensação enorme de leveza, sentiu-se mais bela, mais esguia, mais elegante.
A última coisa que viu foi uma gigantesca pá, na direcção da sua cabeça. Ficou desfeita em mil bocados.
O marido de Henricunda suava, tal o estado nervoso em que se encontrava! Ermitão Reineta chegara a casa na hora certa. Quando a viu, correu logo para o jardim agarrando uma enorme pá que estava encostada a um canteiro.
Com passos de lã aproximou-se e quando ela se voltava na sua direcção deu-lhe uma pancada forte e certeira mesmo no meio da cabeça peçonhenta. Colocou-a num saco e deitou-a no lixo, no exterior da casa.
Como teria ido parar dentro de casa aquela cobra verde, comprida e viscosa?
Chamou por Henricunda, esperando ouvir a sua voz irritante.
Ninguém respondeu. Sentiu-se bem por estar na solidão sem ter de ouvir a voz irritante de sua mulher, pelo menos até ela chegar a casa. Encostou-se no sofá, abriu o jornal e leu as notícias em paz.
A poucos quilómetros dali a colega de Henricunda continuava a trabalhar, mas com um enorme sorriso nos lábios!

55 comentários:

bat_trash disse...

Chiça, mas com o nome de Henricunda Raineta ela tinha mais é que ter medo de envelhecer, pois enquanto fosse bela ninguém repararia neste nome bizarro....LOL!
Ao ler esta narrativa lembrei-me de FONTE DE JUVENTUDE de Rita Lee.
Eis a letra:

Quanto mais a mulher jura
Gostar de homem erudito
Tanto mais ela procura
Um tipo burro e bonito

Pois as pernas que um dia abalaram Paris
Hoje são dois abacaxis
Se os olhos da Elizabeth Arden, meu bem
O que a Helena Rubinstein com isso?
Se os olhos da Elizabeth Arden, meu bem
O que a Helena Rubinstein com isso?

Ela passou creme Ruguina
Ela usou Anti-sardol (te contei, não?)
Ela fez plástica pra ter cara de menina
Mas ela não esfriou o sol

Morreu, morreu com a cara que nasceu
Não deu, não deu pra gostar do que era seu
Eu tenho o corpo que pedi a Deus (graças a Deus!)



Diverti-me bastante com este teu conto-parábola. mas peçonha por peçonha a amiga também não fica atrás...hahaha! E Ericunda ao tirar veneno da gordura do corpo e rejuvenescer as células externou o seu interior... Muito bom mesmo!
Beijos.


PS: Helena Rubstein e Elizabeth Arden são duas marcas de cosméticos muito famosas em meu país que estão no mercado há mais de 30 anos.

Menina do Rio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Menina do Rio disse...

Minha nossa! Ervas metamorfoseantes? Deviam ser vendidas a quilos na praça pública (ai língua peçonhenta a minha...)Coitada da...Até o nome é peçonhento! Henricunda!

Parisiense disse...

Por essas e por outras é que eu não faço dietas...ahahahhaha
Mas bebo muito chá verde......agora de cada vez que beber vou ficar a pensar nessa coisa nojenta( a serpente....ahahahah)

Bonito enredo...gostei deste conto.

Beijokitas

Daniel Silva (Sair das Palavras) disse...

Olá

Passa no meu blogue e aceita o desafio.

Obrigado.

Abraço.

Laura disse...

Ai credo, ao principio aind apensei que estava retratada, ma sós pois com tanta maldade, xiça, penico, nanja eu na sou assim..e todos têm o veneno, (remédio que merecem) pagam sempre...coitado do marido que a matou, enterroue nem sonhou ainda com o que fez...bolas nino, matas tudo, enterras tudo, somos toda sumas cobras e sei lá que mais...faxxabor de escrever coisa slindas de principes belos fadas maravilhosas para que a criança que vive em nós, possa sentir-se feliz. Chegam as guerras do nosso mundo diário...
Beijinhos e tou tão constipada, espirro tanto que receio que a speças do implante comecem a sair plo nariz...ahhhhhh..laura..

Laura disse...

Ah, e saiba que maa reineta é a minha preferida entre todas as maçãs, a mais gostosa e saborosa e tudo tudinho eu gosto nela...se um dia tiver uma casita com jardim hei-de ter maças reineta...e nem mais..beijinhos.

Gata Verde disse...

Belo conto...

(vou contar-te um segredo. Os meus olhos são verdinhos!!)

beijinhos

Alexandra disse...

Baralhando e dando de novo as verdades nuas e cruas estão aqui bem à vista!!

Excelente!! Gostaria era de poder servir umas ervinhas dessas a algumas linguas bifurcadas... :))

Menino, existem alturas na vida em que sofremos tb com o sofrimento dos outros. E se tal acontece é porque quem está do outro lado merece.Por isso, nada de agradecimentos ;)

Bjocas

Roderick disse...

B. Rita Lee??? Há anos que não ouvia esse nome!!! Ainda canta? Já deve estar bem velhinha!
Ó garota! Essas marcas não são só famosas por aí. São marcas famosas mundialmente.
Não te esqueças que hoje isto é uma aldeia global, garota! Beijões

Roderick disse...

Menina do Rio, quem sabe se procurares bem, não encontres essas ervas! eheheheh

Roderick disse...

Parisiense, não te preocupes. Para isso acontecer tinhas de ter a essência de cobra na tua natureza. Beijos

Roderick disse...

Danile, já lá passo. Obrigado

Roderick disse...

Laura, garota! mas tu achas que te ia retratar daquela maneira?????
Por amor de Deus!
Nunca!!!!!!

Roderick disse...

Mesmo sem casinha com jardim podes ter maçãs reineta! Basta comprares. eheheheheh

Roderick disse...

Gata. Apenas falei em olhos azuis para rimar. Mas olha que meu avô paterno tinha olhos que passavam de azul, para cinzento ou verde.
Já o meu pai só os tem verdes!

Roderick disse...

Alexandra. s veraddes são para se dizer. Beijos, amiga!

A Senhora disse...

Tenho qeu tomar cuidado com esses chás... rsss

bjs.

Ps: > Malvado! Eu tive que ir ao dicionário! :) E sim, existe assoviar, que é uma variação do verbo assobiar - bom, pelo menos por aqui... :) :)

Roderick disse...

Senhora? Existe assoviar????
Também vou ao dicionário e amanhã digo algo!
Vivendo e aprendendo, não é?

biazinha disse...

Roderick:
Bem,eu e Bat ainda somos diabretes,e, portanto, faremos 15 aninhos em Abril, hoje nos duas não sabíamos se o que vende de um lado do oceano vende no outro.
Mas respondendo as tua pegunta: Rita Lee é viva, ainda vende discos e tem até programa em TV fechada e é sempre figurinha fácil de se eoncontrar em documentários do Rock aqui no Brasil e extremamente conhecida em minha geração. Ela é um ícone. Não existe Rock Brazuka sem que passe em primeiríssimo lugar por Rita Lee. Mas esta música citada pela Bat fez sucesso mesmo com As Frenéticas.
Saudades!
Beijão.

Patricia Daniela ♥ disse...

bem, esse imaginaçao nao tem fim, mesmo!

Roderick disse...

Biazinha. Pois é! Até eu, às vezes me surpreendo! Porque sobre o que vocês falam parece que estão aqui mesmo, também. É tudo muito idêntico. A diferença é que aqui há mais chuva durante o ano. Porque o sotaque qualquer dia também é o mesmo porque há cada vez mais brasileiro por cá!
E a Rita Lee é um icone mesmo!
Beijocas

Roderick disse...

Patricia - Tem dias, tem dias!

Teresa Durães disse...

coitada da cobra! só estava a cumprir o seu instinto animal!

Carla disse...

...e que belo veneno arranjaram para a maçã...há pessoas que merecem o fim que têm pelo mal que fazem
gostei imenso de ler
beijos

Teté disse...

Gostei imenso do teu conto, a par da maçã... reineta! :)))

Roderick disse...

Teresa - E que instinto!!!!

Roderick disse...

Carla - As maçãs são um perigo, já dizia a Branca de Neve. E a Eva, claro!

Roderick disse...

Teté - para a próxima faço puré de maçã!

Laura disse...

laurinha chegando, sentando-se na soleira da porta, abriu a maleta e tirou de lá um panito, um pratinho, canela em pó, uma colherzita e gritou; roderickckckckckckckkkkk, o meu puré de maçã???????, ai, adoro, mas se for reineta ainda melhor...claro que as compro que remédio, mas tê-la na macieira e vê-las crescer, ah, que lindo...Beijinho e já sabia que não me ias retratar assim, no começo nem tava mal, mas ós pois...xi...

Dona Jequitibá disse...

a criatividade continua, a passos lentos já que além de Dona Jequitibá, tenho trabalho, faculdade, mulher e outras coisitas!

Dina disse...

Olá!
Tem selo pra você no meu blog!
=)
Beijos
e boa semaninha!

vida de vidro disse...

Pronto! Não basta transformares a mulhaer em cobra, ainda tinhas que matar a cobra! Eu bem digo que tu és mau... :)**

Roderick disse...

Laurinha - Espero que te tenha agradado o puré de maçã. Estava bom, não estava? hmmmmm, chlép chlép

Roderick disse...

Dona jequitibá, a passos lentos mesmo! Há alturas que demoro, sei lá, dez minutos, a fezer um conto destes!
Uma canseira, mesmo!

Roderick disse...

Dina, "selo" ou não "selo", eis a questão!
Já lá passo.
És tu na foto?

Roderick disse...

Alice Vida de Vidro - Já sabes. Eu não sou mau. Eu sou a Personificação do mal!!!! AHAHAHAHAHAHA
Miauuuu

Rafeiro Perfumado disse...

Inspiraste-te na história da Madonna? ;)

Abraço!

O Profeta disse...

Mágnifico texto caro amigo...


Abraço

Roderick disse...

Rafeiro. Da Madonna????? Porquê da Madonna??????

Roderick disse...

Profeta. Os teus é que são magnificos. Os meus são jeitosinhos!

Carlos II disse...

Ao ler o teu conto, logo ao principio lembrei-me da Lili Caneças e de outras personagens do beatiful people

Gosto de maçãs reineta.

Uma braço

Philip Rangel disse...

Primeiro venho agradecer a participação no post copa 2014..como eu disse espero q seja um bom investimento mesmo para o Brasil..mas como as coisas mudam espero q fazem o certo com esses gastos e nao prejudique a populaçao...

ervas???deveriam mesmo polas longe....


otimo texto...

Roderick disse...

Carlos dos II's, como te chama a Laurinha, Uma braço para ti também. Melhor! Duas braços!

Roderick disse...

Philip, obrigado e continua com o teu rabalho de informação. Muito bem!

Carlos II disse...

Ahahahaha
A telefonar e a escrever a nota não podia sair coisa boa.

Roderick disse...

Ah! Então o abraço foi para o outro lado da linha... telefónica!
Mas compreendi. Também! os abraços dão-se com os braços, não é?eheheheh

.: Juliana :. disse...

Sabe, vc tem razão, se ele fosse almoçar em outro lugar, estaria dando a razão a ela. Na hora que escrevi, estava com raiva e nem me toquei nisso.

Seja bem vindo ao meu humilde blog.

Uma quinta iluminada.

Abraço*

Roderick disse...

Juliana. Bem vinda a esta casinha humilde!
Beijo e abraço

.: Juliana :. disse...

Obrigada querido! Esta casinha aqui será sempre visitada :)

E lembranças, muitas vezes são boas e vale recordar para não cometer os mesmos erros, sempre se aprende algo.

Beijinhos*

Roderick disse...

Juliana, como diz o outro, Recordar é viver!
Ou é de um anúncio da Kodak????

Mary Joe disse...

Gostei deste texto...ela representa uma boa percentagem das mulheres: todas têm medo de envelhecer e esquecem-se que a idade é posto e até charme =p Tal como ela também tenho a rotina do de vez enquando alargado a todos os dias.

mundo azul disse...

________________________________


Infelizmente, cada qual, tem o que merece... Pobre do marido por carregar essa morte nas costas!

Muito boa a sua história!!!


Beijos de luz e o meu carinho...

________________________________

Roderick disse...

Pois Mary Joe, mas não tomes esses chás de ervas estranhos!

Roderick disse...

Mundo Azul - Mas o marido nem soube! E nem soube onde foi parar a sua mulher. Fugiu, talvez, com o seu preparador fisico, pensou ele!