segunda-feira, fevereiro 22, 2010

Numa qualquer Sala de Espera

Calma e triste, estava a senhora.
Olhos verdes mas baços, da idade.
Sentada na sala de espera fixava a saída com a esperança de o ver entrar.
Uma última vez. Na sua vida.
Sem vontade de chorar fosse de tristeza ou de alegria.
Apenas estava. Apenas se mantinha.
Agarrada àqueles pensamentos de tudo o que se passara.
Pensamentos repletos de palavras sem som que a língua já não emitia, que a boca já não bebia.
Trevas ocultas na luz que a rodeava. Os seus pensamentos do outrora.
Esperando naquela sala de espera por tempos que já não voltavam, ali estava, olhando a porta de saída da sala de espera como se esperasse que ele voltasse e entrasse por ela, para se sentar a seu lado, para a noite resplandecer como o dia no alvorecer.
Sentada sem nada ver, ali se mantinha, ali esperava, estagnava, até que a porta se abrisse... uma última vez.

16 comentários:

Lord of Erewhon disse...

Foi um prazer renovado reencontrar um comment teu! :)

Como vai isso, pá? A sáude? A vida? O coração?

Um forte abraço!

P. S. Toma, para te entreteres quando não te apetecer ligar a máquina pra escrever: uma Casa de amigos .

Lord of Erewhon disse...

O texto é triste. E belo. Eu sei que a vida pode ser muito triste, mas espero que não tenhas ficado psicologicamente numa sala de espera de hospital.

Luiz Guilherme disse...

mto boum seu texto viu......esta bem captado e bem elaborado tb viu.....vlw

http://lg7fortalezace.blogspot.com/

Tks
Luiz Guilherme By Lg7

Alexandra disse...

Olá amigo!

Pois... tens razão! Ando mesmo desaparecida!

Mas pelo q vejo voltaste à carga e com todo o estilo :)

Continua, pode ser q me contagies ;)

Beijoca pr ti e família.

Roderick disse...

Hello, amigo monárquico.
Obrigado pela Casa de Amigos. Vou lá passar para ler e ver atentamente.
Foi na Sala de espera, mas a observar uma senhora, que me lembrei de escrever este texto

Roderick disse...

Obrigado, Luiz.
Volte sempre, viu?

Roderick disse...

Amiga Alex.
Bons olhos vejam a tua escrita.
Vê se apareces mais e se ficas contagiada.
Beijos

Milla disse...

Olá... obrigado pelo "saude"...rs
Interessante o texto. Esta sua cena me lebrou de uma vez em que eu observava uns dos prédios ao lado do que eu estava, avistei um senhor sentado numa sala esverdeada. Comia alguma coisa, calmo, solitário. Não havia TV nem ninguém pra interromper. Era ele e seus pensamentos... Talvez esperava algo. Talvez não...

Grde abraço.
Volte sempre.

Anónimo disse...

Olá Paulo,
Como estás tu e a tua linda família?
Obrigada pela tua mensagem no blog do Rui, ando desaparecida, estou escondida dentro do meu cofre azul, é um cofre pequenino, cheio de memórias onde procuro encontrar forças para sorrir.
Beijos
Isabel

Pedro Fitch disse...

Uma prosa estupenda de quem já tinha saudades de ler sentimentos. Cada vez mais sensível e apurado, ao melhor nível de sempre.

Forte Abraço!

_+*A.Elite in Paris & Montpellier*+_ disse...

Estive numa sala de urgencias ha alguns dias atras, e foi o que aconteceu ao ver os olhos de varias pessoas que encontrei, esse destino triste, e essa esperança que cambaleia como uma chama de vela... até arder até o fim! :s

Beijo meu e bom domingo,

A Elite

Klatuu o embuçado disse...

É um belo texto.

Fa menor disse...

Quantos, com triste calma, não são essa senhora?!...

Boa semana

Bjos

Carlos II disse...

É dos sítios mais deprimentes. Realmente quantas histórias diferentes e sentimentos povoam as mentes das pessoas em sítios como esses.

Um abraço.

Laura disse...

Bem me parecia que estiveste numa qualquer sala de espera, quem sabe no dentista...no Hospital não, é mau...beijinho da laura

Laura disse...

O prato de hoje é engraçado, experimenta passar lá, tenho saudade de tu de ocêzinho..beijinho e abraço apertadinho, laura