terça-feira, fevereiro 09, 2010

Valsa dos Planetas

Vaidosa ia a Terra na sua órbita sobre a estrela mãe.
A Lua na sua pequenez, bonita e árida, apenas sorria enquanto lhe fazia companhia lançando sobre ela a frescura do luar.
Rodava sobre si para olhar para os outros astros irmãos.
Para ver seus olhares. Para ouvir seus sussurros, sobre como era bela.
Azul, não muito grande, mas também não muito pequena.
Mas de um azul lindíssimo que fazia ruborizar o seu planeta irmão, Marte, planeta telúrico como ela, sua irmã!
Marte, também conhecido por Deus da Guerra, tinha a alcunha de Estrela Vermelha, porque era assim que era visto de noite.
Mas o mais pequenino era Mercúrio. Também era o mais aquecido pelo Sol e era muito mais rápido que seus restantes irmãos.
Vénus, era a irmã bela, a Deusa do Amor. Tinha um corpo como a irmã Terra e gostava de ser tratada como Estrela D’Alva.
Eram os quatro irmãos Telúricos, compostos de rochas e silicatos.

Urano, personificando o céu, olhava invejoso para a rota da Terra. Lendas diziam que ele fora gerado por Gaia, a Terra, mas também sua antiga paixão. Histórias antigas que nunca se resolveram a bem!
Plutão, ao contrário de seu nome, era pequenino e engraçado. Vivia inclinado em relação aos seus irmãos, tomando um rumo diferente deles na sua vida.
Saturno, era o mais vaidoso, com os seus belos anéis. Gostava de os mostrar a quem quer que passasse. Mas fervia em pouca água. Era muito gasoso.
Neptuno, planeta anão, como Mercúrio, era o irmão mais velho. Tinha doze filhas, doze luas, das quais a mais conhecida era Tritão!
Júpiter, do alto da sua grandeza e imponência observava os irmãos. Também tinha quatro filhas e também ostentava anéis.
Eram os irmãos gasosos que se gostavam de juntar aos pares.
O Sol era a estrela central onde gravitavam. Esfera de plasma que aquecia os filhos.
O Sistema Solar abraçava os seus planetas, os filhos dos planetas e o sol, no seu regaço. Sem idade definida era sábio e poderoso. Sua origem era Nebulosa.
No meio de todos existia o Espaço Sideral, com os seus vazios e atmosferas. Ninguém o via, mas sabiam que estava lá! Dominando tudo. O Universo, a Totalidade das coisas, o Todo Inteiro!

38 comentários:

Teté disse...

Posso fazer uma pergunta? Sem ofensa, está claro!

Esta valsa é uma lição de astronomia (não confundir com astrologia) disfarçada num conto de fadas, ou um mero exercício de imaginação?

Valsemos, pois... :)))

Roderick disse...

Teté. Ambas!
;-)
Misturei Astronomia com Mitologia e... deu isto!

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Roderick.

Só fico chateada com Plutão que hoje foi rebaixado de posto e não é mais considerado planeta. Aiaiaiai! :-(

Gostei muito do seu texto! Inventivo, alegre. Excelente! :-)


*********

Gostou dos Nossos Corpos daquele jeitinho? :-)

*******

BOA QUINTA-FEIRA PARA VOCÊ!


♥.·:*¨¨*:·.♥ Beijos mil! :-) ♥.·:*¨¨*:·.♥

Roderick disse...

Sorriso. Então não gostei? UUUUUIIIIIIII
eheheheheh

Agulheta disse...

Roderick! Que seja astronomia ou astrologia? gostei da forma de expressão do texto em tom de valsa?.
Beijinho

Menina do Rio disse...

Essa valsa é uma Ode ao Universo! Muito bem composta, Roderick!

Um beijo pra ti

Cotovia disse...

...fantástica a tua observação sobre os Cotofres??? Milhavias????
...realmente não seria possível!


Quanto ao texto... um embrulho de criatividade e sabedioria. Gostei muito...

A Senhora disse...

Muito gostosa a sua valsa! E constata-se que os homens sempre vão ter os olhos voltados para os céus para criar suas valsas, sua mitologia, suas grandes histórias, suas maravilhosas fantasias, suas mais fantásticas invenções e ambições.

bjs. ;)

Nanda Assis disse...

criatividade mil.

bjosss...

Roderick disse...

Agulheta, dançamos a próxima?
;-)

Roderick disse...

Menina, beijo, beijo.

Roderick disse...

Cotovia Milhafreira, obrigado!
;-)

Roderick disse...

Senhora, quando te referes aos homens inclui as mulheres também, claro!

Roderick disse...

Nanda, por acaso a criatividade até está em baixo, mas vou tentanto, vou tentando...

Cabeça no ar disse...

gostei!

Roderick disse...

Cabeça no ar! Um "gostei"? Nada mais? Nem um bom fim de semana? Que desilusão!!!
;-)

Laura disse...

Tou como a tété, e acho que te excedeste em grande escala, ao que estamos habituados..rapaz, e ainda andas confuso da tola? olha para este escrito...acho que passaste a noite a dormitar lá plas galáxias, a dançar com as estrelas, a sentir o bafo quente (não do bafo de Onça, dos livros do Donald) mas do Rei sol...
Está maravilhos, elucidativo, pomposo, enfim, está belissimo...
Um beijo da pariga que gosta muito d e ti,e, é a dona do surfista... laura..

Roderick disse...

Excedi-me como, Laura?
A noitr toda??? Fiz esta coisa em cinco minutos há semanas atrás!!!!!

Artur Gonçalves Dias disse...

Belo texto
a fazer lembrar
a tal valsa de Holst

Saudações

Laura disse...

Excedeste-te a escrever uma coisa marrrrravilhosaaaaaa, entendeste? atchim... santinho..pois..

Laura disse...

Ah, por acaso ja leste o mê princêpê, dizem que não o querem lá no céu...já biste? ter de aturar aquilo de novo? xi, mas que ganda seca..
Beijinhos e s eo vires por aqui, enxota-o..

Naty disse...

Que bonitinho!
Você esta em uma fase de escreve uma literatura de ficção, mas voltada para a moral da história. Eu adorei e não conheço nenhum bloqueiro q faça o mesmo. Tive a idéia, caso eu trabalhe com educação infantil este ano letivo, de usar um de seus textos... se vc deixar, claro!

Bjos
^^

Philip Rangel disse...

Primeiramente venho agradecer a você meu amigo leitor que está aocmpanhando constantemente o Entrando Numa Fria em sua Materia Maquina do Tempo..é de grande valia saber sua opiniao.muito obrigado.

Sobre seu Post:

Vc tmb adora astronomia hein???eita mundo nosso....enorme e de muito a pesquisar ainda...

abraçao

Claudinha ੴ disse...

Linda a dança dos planetas. O universo conspira aqui!
Um beijo!

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Roderick.

Passando para lhe deixar uma mensagem:

"Amizade é um rasto de Deus nas praias dos homens;
Um lampejo do eterno riscando as trevas do tempo."

Roque Schneider


BOM DOMINGO PARA VOCÊ!

♥.·:*¨¨*:·.♥ Beijos mil! :-) ♥.·:*¨¨*:·.♥

Teresa Durães disse...

diria que o universo dá-nos o tudo onde somos gotas no seu corpo

Idun disse...

amigo roderick, ao ler este teu texto imaginei o espao sideral como uma infinita pista de dança.


marradinhas amistosas da bicharada do "pequeno jardim"

Idun disse...

corrijo: espaço sideral, e não. espao sideral.

Roderick disse...

Artur, quem? O Gustav?
Essa fez-me lambrar um "espectáculo" que vi hjá uns anos no CCB que gostei imenso. Ao som dos "Planetas" um pintor que não me recordo o nome, pintou em duas horas uma yela de dez metros por dois/três metros. E ficou fantástica

Roderick disse...

Laura, esse Prim se pê é um grande chato. Tem é de ir para um local que não chateie mais! eheheheh

Roderick disse...

Naty, estás à vontade. Agradeço é que menciones que o texto é meu!
Beijocas

Roderick disse...

Philip. Gosto de muitos assuntos. Uns mais do que outros, claro!
Se necessitares de algo mais sobre os Templários e a História de Portugal, diz! Sim, porque é graças à Ordem do templo que foram os Portugueses a descobrir o Brasil!

Roderick disse...

Claudinha, se o úniverso conspira aqui, no teu blog vive o universo! Com tanta história linda que tens!!!!

Roderick disse...

Sorriso, já que deixas mensagem de amizade, deixo-te um poema do poeta português Alexandre O'Neill sobre amizade, também.

"...Mal nos conhecemos
Inaugurámos a palavra «amigo».

«Amigo» é um sorriso
De boca em boca,
Um olhar bem limpo,
Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,
Um coração pronto a pulsar
Na nossa mão!

«Amigo» (recordam-se, vocês aí,
Escrupulosos detritos?)
«Amigo» é o contrário de inimigo!
«Amigo» é o erro corrigido,

Não o erro perseguido, explorado,
É a verdade partilhada, praticada.

«Amigo» é a solidão derrotada!

«Amigo» é uma grande tarefa,
Um trabalho sem fim,
Um espaço útil, um tempo fértil,
«Amigo» vai ser, é já uma grande festa!..."
Beijos

Roderick disse...

Teres, diria que somos micro-gotas!

Roderick disse...

Idun, marradinhas ao som da valsa para ti também!

Carla disse...

uma valsa plena de musicalidade, onde o universo é o limite
beijos e boa semana

Roderick disse...

Carla. No universo não há limites!!