terça-feira, fevereiro 09, 2010

"O sentido da Vida" ou "A mulher que queria ser monstro... e não sabia!"

(Nota: Este conto é ficção. Toda e qualquer semelhança com factos e/ou pessoas do mundo real é pura coincidência)

Vivia na urbe.
Trabalhava no campo. Num escritório, mas no campo.
Maria Borboto era uma mulher como muitas outras de meia idade, tentando fazer a sua vida independentemente de qualquer homem ou filiação!
Adorava uma boa discussão.
Dia que não discutisse com uma amiga, pseudo-amiga, colega, pseudo-colega, ou até mesmo com o senhor da pastelaria que lhe servia o pequeno almoço, não era dia!
Tudo estava mal apenas pelo prazer de dizer que estava mal.
Sentia-se feliz assim. Sentia-se realizada assim. Sentia um fascínio pelo escárnio e mal dizer.
Devota da coscuvilhice, amante do morder na vida dos outros, lá seguia o rumo de sua vida de apenas um sentido. O de arreliar os outros. Apenas isso fazia tinha sentido. Para ela era o Sentido da Vida!
Os colegas não podiam almoçar na copa, que estava preparada para tal, sem que ela criticasse que não se devia comer de pé, que ficava tudo a cheirar mal, que deixavam a louça suja, que deixavam a louça limpa mas a secar, que... que... que...
Nenhum colega podia tirar uma cópia com mais de dez páginas porque ela queria a fotocopiadora sempre disponível quando necessitava de a usar.
Não queria que tirassem impressões muito longas porque queria que a impressora estivesse disponível quando necessitasse.
Não gostava de isto, não gostava daquilo, não gostava deste, não gostava do outro...
Até que um ente maligno que tudo observava resolveu cometer uma graça, daquelas graças que só os entes malignos acham graça, intervindo.
A senhora, muito querida e solicita, ironicamente falando, estava a desancar um colega apenas por ter deixado cair uma gota de café ao chão, quando lhe chegou às suas reais narinas um cheiro degradante e nauseabundo!
Gritou logo, para quem a pudesse ouvir, que era inadmissível aquele cheiro, as pessoas deviam tomar cuidado, não deviam deitar dejectos poluentes no caixote do lixo, que isto, que aquilo... enquanto ia descascando uma pequena meloa!
Ao levá-la à boca sentiu pela primeira vez que o cheiro nauseabundo não vinha do caixote, mas sim do fruto que se preparava para comer.
Repugnada, deitou-a imediatamente no lixo. O mesmo gesto que há segundos atrás criticara aos colegas, por deitarem coisas putrefactas e nauseabundas num caixote que não devia levar tal!
Foi buscar as outras peças de fruta que tinha e assustou-se com o cheiro horrível que exalavam!
Tentou falar com um colega, mas o pobre homem ia desmaiando com o hálito putrefacto que a senhora espalhava.
Assustada correu para os sanitários e olhou-se ao espelho. Colocou a língua de fora, largou o bafo e não notou grande diferença mas estranhamente o espelho quebrou-se em mil bocados!
Ao olhar para o chão apercebeu-se que uma espécie de liquido viscoso escorria de suas pernas deixando um rasto pelo caminho que fizera!
Parecia uma maldição!
Ela que era tão zelosa da critica com os outros, estava a ficar um lixo humano!
Em pânico saiu a correr para a rua mas quando tentou gritar, apenas um som horrível saiu da sua garganta!

Tudo o que criticava nos outros era ela em bruto!

Os colegas nunca mais a viram!
O ambiente melhorou imenso. As discussões acabaram!
Saudades não houve. Apenas temor pelo possível regresso!
A explicação que deram foi de que a senhora tinha apanhado um vírus qualquer, causado pela falta de limpeza do ar condicionado, mas já estava tudo sob controle.

Afinal teve sentido.
A vida que levara até aí.
Os colegas agradeceram...
Com o seu desaparecimento, pelo menos trabalharam mais felizes e conseguiram ver o lado mau do trabalho em conjunto.

Anos mais tarde, supostamente, alguém a viu a deambular pelas ruas de cidades. E em cada urbe que passava os habitantes tinham de ser evacuados e nos campos que percorria a vegetação secava e os animais morriam sem saber a razão!

(Roderick tales - Contos de Roderick)

50 comentários:

A Senhora disse...

Quer saber mesmo? Fiquei com peninha dela! :)
Ninguém, mas ninguém, mesmo, quis saber o que aconteceu com ela!
Tadinha da senhora...

(Eu conheço um a quem chamamos de o monstro do lodo :))))

Beijinhos!

Teté disse...

Cá para mim, baseaste-te em alguém da vida real! É que há tanta malta assim, sempre pronta a "cair" em cima dos outros... por tudo e por nada!

Não vira é monstro, né? E também são os últimos a desaparecer, que parte do próprio prazer é impor a presença indesejada...

Beijocas!

A Senhora disse...

Adorei a nova foto do blog! Linda!

vida de vidro disse...

Que crueldade! Tu é mesmo mau... :))
Tenho um desafio para ti, lá no meu blog. :)**

Espaço do João disse...

Meu Caro Roderick.
São efectivamente deste ano. Bem recentes e ainda comporta muitas. Pese embora as geadas terem queimado muitas , estas foram tiradas no interior da Japoneira.As brancas são muito sensíveis ao frio, a minha está parte resguardada por uma parede o que a protege parte do frio.
Um abraço João.

Roderick disse...

Senhora - Também exagerei, né? Tadinha dela... ehehehe

Roderick disse...

teté - Eu?????? Nunca!!!! Não era capaz de tal coisa!!! Jamais!!! eheheheheh

Roderick disse...

Senhoar. Fica atenta que dentro em breve vou colocando pinturas de "ma femme" - Ana Garrett.
Beijos

Roderick disse...

Vida de vidro, essa do és mesmo mau, lembra-me uma anedota, mas continuando... amanhã vejo sem falta o desafio que agora já é tarde!

Roderick disse...

João, meu amigo! É um mestre da arte do cultivo e bem tratar das plantas, flores, arvores e derivados.
Cada plantinha nas suas mãos ficam uma maravilha.
Só por curiosidade. Tenho uns ciprestes enormes que cortam os ventos de Sintra. Com o temporal um desenraizou. É enorme. Vou tentar salvá-lo no próximo fim de semana... vamos a ver se consigo!

Philip Rangel disse...

to......tmb pergunto .....

abraçao

Naty disse...

A descrição da personagem me faz lembrar uma ou duas parentes... xD

Roderick disse...

Philip. Então... pergunta...

Roderick disse...

Naty - Que parentes tão simpáticos devem ser!!!!!! Muito chegados, presumo!

Teresa Durães disse...

o que não falta para aí são aqueles que não se vêem mas adoram criticar

Roderick disse...

Teresa, não há nada!!!!!!! Alguma vez!!!!!!! ;-)

bat_trash disse...

Criticamos nos outros aquilo que carregamos dentro de nós mesmos e não queremos admitir ou até não vemos.

Bat Kiss.

Roderick disse...

B. - Então? Andas desaparecida! Agora que estás com um novo visual já não te dás com a plebe! ;-)

Lilly Rose disse...

Boa Noite Roderick, sou eu lilly Rose do Click das Fadas ! O teu " Sentido da Vida " é extremamente interesante, com muitas verdades inseridas em cada linha !!!

Gostei por demais de teu Blog também Amigo de Sintra.

Venho cá aproveitar para agradecer-te tua Visita em meu Click das Fadas !!! Lá serás sempre bem Vindo !!!

Aromas de Rosas...
Lilly Rose

Roderick disse...

Obrigado, Lilly Rose, também és muito bem vinda aqui, como é obvio!
Beijos

Parisiense disse...

Coitadinha....
Será que não tens uns contos alegres, felizes, cheios de paz?????

Eu sei que o dia a dia é mesmo isto, mas fza-nos sonhar com coisas alegres....ahahahah

Beijokitas

Roderick disse...

Parisiense - Tenho, mas esses são para mim! eheheheh

Laura disse...

Bem; antes de acabar já te ia sugerir que a empalassem na maquineta das fotocópias e pronto...Ao menos foi-se e com o cheirete do escárnio e mal dizer, vê-se que nem foi longe. Na realidade. Há muita gente assim, até conheço muitas parecidas, as a dama do Bosque nã, nã, essa adora falar melhor e desculpar, apenas xingo na minha vida!...
Moço, deves ter sido colega de alguém que te fazia os figados verter bilis a mais, ehhhh...essa de mandares para eu fazer no blogue para veres a sminhas actualizações, nems ei mexe rprá li, é o meu administrador que faz as coisas...as musicas, etc etc... e nunca te sinta sobrigado a vir cá, adoro que todos descansem e apareçam quando quiserem....Beijinhos.

Roderick disse...

Laurinha, não, não era comigo, que a pessoa, ficcionada, claro, em questão, não me chateia. Mas uma pessoa observa, né?
Obrigação! Tá doida, Muié?
Não é obrigação nenhuma, bem pelo contrário. O que acontece é que olho para as actualizações e tenho lá tudo e o teu tenho de adivinhar!
Envio na mesma e pedes ao Mário para o fazer já que nos blogs dele acontece o mesmo!!!
É coisa fácil!
Beijocas

Rafeiro Perfumado disse...

Em que empresa do Estado é que ela estará agora? No fundo faltava-lhe sexo, apenas...

Abraço!

Roderick disse...

Rafeiro - Faltava-lhe o sexo, porque caiu com a doença. ahahahah

RPM disse...

olá....eu penso que seria uma laranja.....

é rpeciso ter cuidado com a fruta porque degrada-se rapidamente....

um abraço grande de amizade!

RPM

Drêycka disse...

Colega, valeu pela visita!
Volte sempre.

Qto ao seu blog... Terei de parar uma tarde para ler tantas histórias!

; )

A Senhora disse...

Fiquei rindo quando vi que seus roedores "levaram" meu personagem! :))) Bela dupla! :))

Bjs

Roderick disse...

Rui - Depende da fruta! ahahahah

Roderick disse...

Dreycka - pare, agradeço, beijos

Roderick disse...

Senhora - São uns malandrões, esses roedores!

Carlos II disse...

Outra boa história do fantástico. Ainda ontem estive a ver o filme Sin City. Baseado na B_D.

Estamos em presença de um bom contador?

Um abraço

Laura disse...

Estamos sim carlitos dos iissss, o nosso Roderick é um Ás na escrita, invenção e uma alma das melhores que há por aqui...sendo homem...

Roderick, o rafeirito tem razão, há muitas que não se alimentando convenientemente, só fazem asneira e são más cumás cobras, ehhhhhh.. Beijinhos...

Espaço do João disse...

Caro Roderick.
Os ciprestes são da família dos cedros. Aconselho-o a erguê-lo, tutorá-lo muito bem, afastar um pouco os rizomas,ter cuidado em não danificar muito as raízes, abrir uma cova mais funda um pouco se for possível e cobrir de terra. Caso não possa abrir a cova, convém montar duas meias manilhas de cimento de modo a obter cerca de um metro de diametro á volta do cipreste e enchê-la de terra. Não se preocupe com a chuva, dê-lhe uma boa rega, mantendo a terra sempre fresca.Costuma resultar. Um abraço e sempre ao dispor desde que eu saiba, responderei sempre. João.
Nota. as meias manilhas podem ficar enterradas uns trinta cm. no solo.

Roderick disse...

Carlos II - Se estamos na presença de um bom contador? Não sei! Já não me recordo de quem escreveu o Sin City.
Por acaso não gostei!

Roderick disse...

Laurinha, gostei dessa do "sendo homem". Sua... sua.. feminista. eheheheh
Não fales mal das cobrinhas, coitadas!

Roderick disse...

João, obrigado. Sábado vou tentar! Só espero que resulte que faz-me uma grande impressão ver aquele ser tão grande e tão vivo ali caído!

Carla disse...

Infelizmente há pessoas assim
mesmo assim fico com pena, porque nunca conseguem ser pessoas felizes
beijos

Pascoalita disse...

ikitas
Todos nós temos um pouco de anjo e um pouco de monstro!

Há por aí muitas "marias borboto".

Do meu ponto de vista, são pessoas que de muito mal com a vida e a forma que arranjam para suportar a vida é descarregar nos outros, mas acredito que no fundo vivem em permanente conflito consigo próprias e por vezes nem se apercebm disso.

Para ser franca, tenho pouquíssima paciência para esse tipo de pessoas e tento ignorá-las, mas já tem acontecido fazer o texto, ou seja, dar-lhes uns minutos de atenção e aí baixam armas e deixam ver o seu lado sensível que fazem questão de camuflar.

Agora, uns mais do outros, temos momentos de amargura e nem por isso temos o direito de sermos arrogantes.

Um beijo a ti

P.S. Hum é óbvio que conhecesses ou conheceste a "Maria Borboto", assim como eu conheço um "estrupício" ahahah

Pascoalita disse...

Claro que queria dizer "fazer o teste" (texto e bom é isto que tu escreves eheheh)

Roderick disse...

Carla, cada um é como é. Não tenho pena, sinceramente!

Roderick disse...

Pascoalita - Costumo dizer sobre essas senhoras que tem falta de... homem!

Roderick disse...

Pascoalita, entendi.
beijocas

mundo azul disse...

_________________________________

Meu amigo, o conto é ótimo!

Mas, você bem poderia ter aliviado o final e tornado a senhora, uma santa e compreensiva senhora...

Beijos no coração e um dia muito feliz!!!

__________________________________

Roderick disse...

Mundo azul - No mundo dela era uma Santa. Canonizada e tudo! eheheeh

Patricia Daniela ♥ disse...

coitadaaaaa!

mas muito bem escrito!

Menina do Rio disse...

Como ela, existem muitas outras personagens...

Ao menos o vento já desfez os odores...

Um beijo

Roderick disse...

Patrícia - Coitados é dos colegas!

Roderick disse...

É menina do Rio. O que vale é que por aqui também há muito vento! eheheheh