quarta-feira, setembro 16, 2009

O Mortal... imortal


(...)
Seráfico, observava o vazio interior que o assolava.
Apenas se recordava tenuemente de uma vida anterior.
Espasmos de estranhas recordações que não compreendia, afloravam a sua despida mente.
Não se recordava do seu nome. Não se recordava de nada.
A não ser de um azul, branco, mil cores, brilhante, transparente, de umas asas tecidas como que em seda!
E quando se lembrava dessa estranha recordação... sentia-se feliz.
Porquê? Não o sabia.
Talvez nunca o viesse a saber.
(...)

"O Mortal..imortal"
Quadro a óleo de Ana Garrett
0,60 x 0,50
Excerto de conto de Paulo Roderick

22 comentários:

Parisiense disse...

Como eu as vezes também gostava de não me lembrar de algumas coisa!!!!!!
Pelo menos não ficava triste!!!!!

Beijokitas

Euza disse...

Fiquei aqui a pensar: serão os excertos uma abre-apetite para o que aqui não foi mostrado?
Pra mim foi assim. Li e fiquei salivando pelo que não está!
Boas por demais as amostras, viu? Tb lindas as imagens - incluindo as fotos!
Beijão

Laura disse...

Bom, o gajo é jeitoso, a ana tem olho pra corpos lindos...Parabéns...e tu para os contos, inventas e reeiventas...Beijinhos.

Gata Verde disse...

Não desfazendo do teu texto, deixa-me dizer que adorei o quadro!!!

beijocas

Conversa Inútil de Roderick disse...

Parisiense, como eu, como eu! Mas recordo-me sempre de tudo... !!!!
Quem sou eu?????

Conversa Inútil de Roderick disse...

Euza, dentro em breve os contos voltarão a este cantinho!
Beijo

Conversa Inútil de Roderick disse...

Laura, a Ana tem olho para corpos lindos??? sabes algo que eu não saiba????
ahahahah

Conversa Inútil de Roderick disse...

Gata, está à venda.
Podes adquiri-lo a preço de amigo!
Beijos

Teté disse...

Isto amnésia em algumas situações dá muito jeito. Nem sei como antigamente faziam telenovelas sem recurso a uma amnésiazita. Há algumas onde até se contam os não amnésicos, porque os esquecidos é impossível... :))

Beijocas!

ps - depois há "roteiristas" que também são esquecidos, num caso (tuga) esqueceram-se que a menina já tinha perdido a virgindade e, TARUZ, para espanto de todos ela (virgindade) voltou por milagre... :D

FM disse...

Será que não virá a saber?
Abraço.

E.Suruba disse...

não abriu aqui
:(

Å®t Øf £övë disse...

Roderick,
O importante é sentirmo-nos felizes, e quando isso acontece não devemos perder tempo a tentar descobrir os porquês.
Bom fds.
Abraço.

Conversa Inútil de Roderick disse...

FM, no conto dizia tudo, mas qualquer dia torno-o a colocar aqui na integra.
Abraços

Conversa Inútil de Roderick disse...

Suruba! O que não abriu aí???

Conversa Inútil de Roderick disse...

Art of love, claro!Mas se te referes ao excerto, ele está inserido num contexto que não está aqui!

Idun disse...

as cores que trazem com elas sensações e uma memória, mesmo que num dado momento não a saibamos traduzir.

marradinhas amistosas

Drêycka disse...

Fiquei com uma dúvida existencial!
Adoras a Editora sextante ou os livros do Dan Brown???
;-)


RESPOSTA:
"ambos!!"


hehehe


bjs

Conversa Inútil de Roderick disse...

Idun, por vezes nunca serão traduzidas, como se de outra vida se tratassem

Conversa Inútil de Roderick disse...

Dreycka, ah bom!!! Assim já vi a luz!!!!!!
;-)

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!


Bom casamento! :)


beijinhos

Laura disse...

Ahhh, sei pois, sei que ela sabe desenhar e pintar corpos lindos, ora pois, e ós pois?...ahhh, só tu..beijinhos..laura e viste, perdeste um encontro e peras...laura

E.Suruba disse...

abriu agora!
me lembra reencarnação